quarta-feira, março 30, 2016

AGATHA CHRISTIE: MINHA ESCRITORA FAVORITA

Tudo começou quando eu estava na 7ª série (atual 8º ano). Como era apenas uma estudante do Ensino Fundamental, não tinha o costume de comprar livros. As leituras eram basicamente aquelas indicadas pela professora de Português. Mas, como moro praticamente ao lado de uma biblioteca pública e já gostava de ler, de vez em quando, buscava um ou dois para ler. 

Foi quando vi o título "O caso dos dez negrinhos", posteriormente mudado para "E não sobrou nenhum" (o primeiro título foi acusado de racismo, por isso a editora modificou tudo inclusive o poema abaixo, que utiliza soldadinhos ao invés de negrinhos, como nas versões anteriores). Esse livro foi o responsável pela minha paixão por romance policial e querer ler mais e mais. Nos anos seguintes, li em torno de quarenta obras dela. Aquela escrita muito bem elaborada, os detalhes, o suspense. O jeito Agatha de escrever...

Tenho várias escritoras que admiro muito como Clarice Lispector, Cecília Meireles, J.K. Rolling e outras, mas se não fosse por Agatha Christie, talvez eu nunca tivesse me tornado uma leitora assídua. Isso a torna especial e é a primeira a vir na cabeça quando o assunto é leitura. Se não fosse por ela eu nunca teria conhecido personagens incríveis, viajado para todas as partes do mundo e, sem dúvida, minha vida seria um tédio ainda maior. 

Deixo aqui o poema que ficou na minha cabeça durante semanas e que, volta e meia, eu procuro ler para relembrar uma história maravilhosa.

Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou, e então sobraram nove.

Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito;
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.

Oito soldadinhos vão passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.

Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.

Seis soldadinhos com a colmeia, brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobraram cinco.

Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quatro.

Quatro soldadinhos vão ao mar; um não teve vez;
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.

Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois;
O urso abraçou um, e então sobraram dois.

Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.

Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele se enforcou,
E não sobrou nenhum.


Acompanhe o blog nas redes sociais
 Instagram || Facebook || Flickr || Bloglovin  || Snapchat: milcaabreu 
Milca Abreu
Milca Abreu

Formada em Letras, apaixonada por leitura, fotografia, séries, gatos, Star Wars, Super-Heróis, Woody Allen e batons. Amo histórias de terror e suspense, músicas antigas e não dispenso uma boa passeada no shopping. Sou da Capital e ainda pretendo conhecer o mundo - ou parte dele.

2 comentários:

  1. Agatha Christie <3

    Eu amo a autora e amo o personagem Poirot!! Cheguei até a assistir a série um tempo atrás, mas não consegui achar muitos episódios legendados.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho alguns livros dela aqui em casa, mas ainda não li nenhum =/
    Gostei muito do poema.

    Abraço,
    omundodemis.blogspot.com

    ResponderExcluir

Se você gostou (ou não), deixe um comentário me dizendo o que achou, assim poderemos trocar figurinhas sobre coisas das quais gostamos e vou saber o quê e onde melhorar.
Spam, não, pls!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...