5 VEZES EM QUE A VIDA ME FEZ ROCKEIRA

terça-feira, julho 14, 2015

Depois de ficar muito tempo sem postar nenhum dos temas propostos pela Rotaroots*, hoje eu decidi fazer esse post em homenagem ao dia mundial do rock que foi ontem, 13 de julho. Hoje, eu não sei se tenho um estilo de música preferido, depende muito, mas se eu tivesse que escolher um único estilo musical para ouvir pelo resto da vida, sem dúvida seria rock. Então vamos lá.
1) Quando eu estava na 7ª série e achei que, conhecendo demais a vida, o rock poderia substituir qualquer relacionamento amoroso.

Pois bem, eu estava na fase de me apaixonar por qualquer garoto que dissesse que "oi" para mim, e claro que isso não daria certo. Então eu decidi que jamais me apaixonaria novamente, deixaria de ouvir pagode para ouvir rock e só usaria preto. Sim, foi uma troca maravilhosa, mas ainda voltei a me apaixonar e a usar rosa.
2) Quando fui ao show mais lindo ever, mesmo não sendo rockeira (tiramos essa fotos antes de entrar no ginásio)

Foi no dia 15 de setembro de 2011. Quando soube que haveria show do Judas Priest aqui em Brasília, meu noivo não pensou duas vezes e, claro, fui com ele. Imaginei que seria pisoteada ou que teria um ritual satânico no meio da pista, mas foi a coisa mais linda que já vi. Os efeitos incríveis, tudo muito organizado, pessoas educadas e o Rob caindo da moto. Foi lindo!
3) Quando Deus me deu um noivo rockeiro e que tocava em uma banda de metal

Até hoje lembro a primeira vez em que o vi tocando bateria. Não é porque é meu noivo não, ou talvez seja, mas ele é incrível. Nunca fez aulas de bateria e toca demais e não sou só eu quem diz isso. Ele é realmente foda! Hoje ele ainda toca em três bandas (maravilhosas), mas nada comparado aos tempos de ouro que cito logo abaixo.
4) Quando, nos shows da banda do noivo, sempre tinha a banda, eu e um bêbado. Apenas.

Os melhores momentos da minha vida de "namorada de um rock star" era quando ele ainda tocava metal e nos shows não ia ninguém além das bandas que tocariam, as namoradas e um bêbado que ficava dançando na frente do palco. Tempos bons... 
5) Quando percebi o Rob Haford tem o vocal mais lindo do mundo!

Antes do show, quando eu quis conhecer a banda para depois entrar no meio daquela loucura, eu percebi que era aquele cara que eu queria ouvir cantando pelo resto da minha vida.

Brincadeiras a parte, o rock sempre esteve presente na minha vida, mesmo quando eu ouvia só músicas evangélicas. Comecei me apaixonando pelo Love Metal, lembram dos CDs? Minha vizinha ouvia no volume máximo e além disso tinha o comercial na TV que passava trechos das músicas. Passei a buscar um pouco mais sobre os cantores que estavam naquelas coletâneas e, graças a Deus a internet chegou para facilitar mais ainda o acesso a tudo aquilo que um dia me foi proibido.

Bye

*Esse post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots. Um grupo de blogueiros que buscam resgatar o tempo dos bons e velhos diários virtuais. 

POSTAGENS RELACIONADAS

4 comentários

  1. Ooh adorei. A vida já me fez muito rockeira viu haha. Tive problemas de adolescente quando tinha 14 anos, eu só ouvia rock porque achava que a vida bastaria naquilo. Também tive uma paquera meio rockr, eu amava me vestir estilo rockr. Mas o tempo passou é eu ainda gosto de mais de musicas de rock, claro hoje tenho outra visão da vida, mas curtia é aprendi muito com o rock. Beijos xuxu

    http://joicyrecco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando a gente é adolescente parece que é o fim né? Que bom que essa fase passa hahaha
      Bjss

      Excluir
  2. A vida do rock judia mas fala sério: é sensacional pra banda ou pra quem acompanha!
    | A Bela, não a Fera |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir

Se você gostou (ou não), deixe um comentário me dizendo o que achou, assim poderemos trocar figurinhas sobre coisas das quais gostamos e vou saber o quê e onde melhorar.
Spam, não, pls!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...