O que aprendi com o Sr. Strooge

terça-feira, outubro 28, 2014

Para quem não conhece. o Sr. Strooge é um personagem de Charles Dickens no livro Um conto de Natal. O livro é bem gostoso de ler e, dependendo da sua disponibilidade, em um dia você termina. 
Um mini resumo: Sr. Strooge é um homem detestável. Muito mal humorado, um chefe chato pra caramba, rico, mas que não gasta um centavo nem para ter um pouco de conforto. Não gosta do único sobrinho e detesta Natal. Ele era sócio de Jacob Marley, que morreu e deixou o escritório coo herança, mas justo naquele Natal, seu fantasma visita Strooge para mostrar algumas "coisas" que ele PRECISAVA enxergar.
É sobre essas "coisas" que quero falar hoje, o que aprendi com cada uma.
Os Fantasmas do passado, presente e futuro aparecem para mostrar um pouco sobre a vida para ele, mostram um pouco sobre como foi um Natal em seu passado, o Natal no presente e algumas situações futuras.
Primeira coisa que quero falar é que, nós sempre temos a chance de mudar se acreditarmos que nos fará bem. Acredito que a maioria das pessoas não têm esse pensamento de mudar para melhor, e quando digo isso, não me refiro somente a estudar mais, fazer exercícios físicos ou coisas do tipo. Não que não seja importante. Mas a questão maior é quem você é e como você trata as pessoas ao seu redor. O Sr. Strooge, como eu já disse, é conhecido por ser um chato e mão de vaca.
Enquanto lia o livro, eu pensava sobre a minha própria vida - fora a parte do dinheiro, porque se eu tivesse, eu seria só chata =) -, e como na maior parte do tempo eu não quero falar com ninguém, gosto de poucas pessoas e não sou capaz de fazer novas amizades, muito menos mantê-las. Houve um tempo em que eu era muito boa nisso, mas hoje eu apenas não quero/consigo. Entretanto, muitas coisas nós precisamos dar valor. Amigos verdadeiros e família, por mais que ela seja louca e problemática. Eu dou muito valor à minha e sei que se eu precisar, eles nunca me deixarão sozinha.
Apesar de não ser uma pessoa muito sociável, tenho algumas amigas que sei que se eu precisar delas três horas da manhã, elas estarão lá. E pensei seriamente em tentar formar amizades, nem que sejam virtuais sabe, sei lá, só para me sentir melhor.
Agora, algo que me fez refletir muito mais foi em algo que é característica fixa minha: ranzinza. Cara, não sei como as pessoas me suportam às vezes. Até eu sei quando estou sendo um porre e eu gosto de ser assim - sorry - mas tenho consciência plena de que não é uma coisa muito legal.
Quando você lê um livro com uma mensagem tão bonita quanto Um conto de Natal e você se identifica com o personagem, você começa a pensar em mudanças. Sério. Tentar ser uma chatice a menos no mundo e, confesso, estou trabalhando nisso. Claro que com algumas pessoas será uma missão impossível, mas juro que antes de morrer sozinha e sem ninguém pra lembrar de algo bom que eu fiz em vida, vou tentar ser menos velha chata. Não sei se consigo, mas tentarei.
Deixo a dica de leitura, vale muito a pena.

"Seu coração transbordava de felicidade, e isso era o bastante."

POSTAGENS RELACIONADAS

0 comentários

Se você gostou (ou não), deixe um comentário me dizendo o que achou, assim poderemos trocar figurinhas sobre coisas das quais gostamos e vou saber o quê e onde melhorar.
Spam, não, pls!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...